10 anos de Canadá.

Desde que aceitei o desafio de escrever para o Canadá.sairdobrasil tento adotar um estilo neutro em meus artigos. Nunca fui o personagem principal nas matérias publicadas. Evito ao máximo levar a minha impressão pessoal ou expor minhas opiniões e sempre obtive exemplos concretos como base, assim como dados de pesquisas ou algum tipo de referencia. Entretanto, seguindo vários pedidos de amigos próximos, decidi fazer uma matéria onde eu fosse o protagonista e passar um pouco da minha experiência. Afinal de contas, no último dia 25 de janeiro, completaram 10 anos que estou no Canadá.

Bom, definitivamente o inverno canadense não foi o motivo da minha escolha. De fato o Canadá foi uma alternativa de sair do Brasil. Muita coisa mudou para melhor no nosso país, mas outras muitas continuam do mesmo jeito ou até piores. Hoje o Brasil é respeitado no exterior, tem uma boa política internacional, passou a ser credor ao invés de devedor e a economia está num bom caminho. Porém, tanto na atualidade como há 10 anos, o país sofre com uma péssima distribuição de renda, não há leis sérias e a violência impera em todos os aspectos da sociedade, além da corrupção em altíssima escala. Portanto, os motivos que fizeram eu sair do Brasil não foram tão diferentes das outras pessoas, entre eles, obter melhores oportunidades de trabalho, ter qualidade de vida, ser respeitado como cidadão e viver numa sociedade ajustada, além de escapar da violência e do constante sentimento de insegurança.

Uma das primeiras coisas que aprendi nesta jornada é que não existe o paraíso. Eu achava que o encontraria no Canadá, pois era o que quase todos os textos, artigos e matérias focavam. Diferentemente do Brasil, o Canadá faz uma excelente propaganda de si no exterior. O que se encontra são praticamente coisas boas e que tudo vai ser fácil. Porém, a realidade se mostra o contrário. Outra coisa que percebi foi que o Brasil não é o inferno na Terra, como eu imaginava. Conheci aqui muita gente que não teve escolha: ou saia do país ou morria. Para se ter uma idéia, o Canadá recebe cerca de 10 a 12 mil refugiados por ano. Isso significa que o país absorve 1 a cada 10 refugiados no mundo.

Uma coisa extremamente importante na adaptação de qualquer pessoa ao novo país é tentar evitar a comparação. Nenhum lugar é igual ao outro e cada um possui a sua própria identidade. Diferenças entre países são comparáveis às diferenças das próprias pessoas: cada um tem a sua personalidade, qualidade, defeito, cultura e religião, entre muitas outras coisas. O Canadá, por exemplo, é fascinado pelo hóquei no gelo, enquanto o rúgbi é idolatrado na Nova Zelândia e o críquete é a preferência na Índia. Então eu sempre digo aos novos imigrantes que o Canadá não é melhor que o Brasil ou vice-versa, mas que cada um tem sua particularidade e que somente a experiência de vida de cada um vai dizer que um é melhor do que o outro. No atual momento o Canadá é melhor pra mim e para a minha família, mas certamente o Brasil é melhor para outras muitas pessoas que não tem a menor vontade de morar fora, imigrar ou deixar a sua pátria.

Hockey: paixão canadense.

Rúgbi: esporte preferido na Nova Zelândia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como já mencionei em outros artigos, o Canadá não é para todos e a adaptação pode ser muito difícil se a pessoa ou a família não estiver preparada. Eu sempre sugiro a quem esteja interessado que procure se informar bastante antes de tomar uma decisão, pois uma possível decepção pode ser expressiva. Ler os sites do governo, entrar em blogs e sites direcionados a imigrantes, além de fazer contato com quem já está aqui podem ser boas iniciativas para a pessoa colecionar informações antes da conclusão final.
Hoje em dia há inúmeros blogs e sites como o Canadá.sairdobrasil. O que existia há 10 anos era um fórum, pelo Yahoo, com 300 membros onde trocávamos informações sobre processo de imigração, vida de estudante e dicas gerais sobre cultura, diferenças e o que trazer, entre outras.

Mas o que pode dar errado? Não há resposta exata para esta pergunta. Isso depende de cada indivíduo ou de cada família. Pode depender da cidade escolhida, pode ser a dificuldade em encontrar emprego ou simplesmente a dificuldade de comunicação no novo país. Vai depender também se a família vem com filhos e como eles vão reagir à nova situação. A mudança é radical e o diálogo é de fundamental importância. Agora, o mais difícil de superar, independente de onde você vem, a sua idade ou profissão é à distância da família. Sentir-se muitas vezes isolado pode ser traumático. Rever os parentes depois de anos é uma sensação ímpar, em compensação o vazio e a dor de uma nova despedida são inexplicáveis.

Recentemente perguntaram-me o que havia mudado nesses dez anos. A resposta que dei? Tudo. Tudo mudou. O Canadá mudou. O Brasil Mudou. Eu mudei. O mundo mudou. Nesses dez anos de Canadá eu acompanhei principalmente a evolução da tecnologia. O Google, fundado em 1998, era somente um site e hoje um fenômeno. A primeira TV que comprei, em 2002, era de tubo e o vídeo cassete ainda popular. Difícil imaginar hoje uma casa moderna sem uma TV de tela plana, fina e alta definição. O DVD substituiu o vídeo cassete e a moda agora são os aparelhos wireless (sem fio). Para se ter idéia, uma das minhas primeiras aquisições foi o computador. Comprei um completo: monitor, teclado, mouse e CPU. Posteriormente adquiri uma webcam e microfone para me comunicar com familiares e amigos. Não posso deixar de mencionar que cada equipamento tinha um fio ou cabo. E haja cabo. Hoje escrevo num laptop que possui somente um cabo de força. Webcam, microfone, mouse e CPU tudo embutido. E o mais importante: é portátil. Eu vi também a revolução que a Apple fez na indústria da música: os CDs praticamente desapareceram e as pessoas estão estocando as suas músicas preferidas nos computadores e aparelhos portáteis. E o que dizer do celular? Cada vez menor e mais fino. O iPhone virou febre no mundo. O GPS (global positioning system) se tornou indispensável no carro de qualquer pessoa e o facebook é hoje uma das empresas mais valorizadas do globo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Em minha última viagem ao Brasil amigos me perguntaram o que teria sido da minha vida se eu não tivesse vindo para o Canadá? Como eu estaria? Como eu estaria vivendo no Brasil? Estas perguntas me acompanharam nos primeiros anos, talvez os primeiros 3 ou 4 anos. Podia tentar respondê-las com base nas experiências de amigos e familiares, o que eu poderia estar fazendo no trabalho ou quais seriam os meus projetos. Hoje em dia não consigo achar uma resposta. Você acaba perdendo o vínculo. Não propositalmente, mas talvez porque a sua vida se transforma completamente. Hoje digo que o Canadá fez parte da minha grande transformação.

Engraçado é perceber a curiosidade das pessoas, pois na verdade elas lhe vêem com outros olhos, acredito. Um pouco surpresas com os 10 anos de Canadá, perguntam-me às vezes se valeu à pena. Bom, esta pergunta talvez tenha sido a mais fácil de todas. Com certeza valeu muito à pena, respondo. As dificuldades foram enormes e adaptação difícil, mas cada vitória tem um sabor especial. Do domínio na língua ao primeiro emprego. Da compra do primeiro carro à conquista da casa própria. Tudo tem seu imenso valor em terras estrangeiras. Chegar ao ponto de aconselhar os próximos imigrantes e ser considerado um “veterano” no seu grupo de amigos também é motivo de muita alegria. O fato de ouvir dos seus pais o enorme orgulho que eles têm pelas suas conquistas não tem preço. Talvez uma das coisas mais importantes nesses 10 anos foi o direito a dupla cidadania. Ir e vir. Ser considerado cidadão do mundo. Carregar passaporte canadense é também algo que traz muito orgulho. A liberdade é algo importantíssimo. Hoje só apresento o passaporte para entrar nos Estados Unidos, por exemplo. Não precisei de visto para visitar República Dominicana, México, Peru, Bolívia, Austrália e Nova Zelândia.

O Canadá pra mim foi um enorme desafio. Foi difícil. Duro. Frio. Distante. Mas eu superei. Venci. Posso concluir dizendo que a minha relação com este maravilhoso país é excelente. Eu amo esta terra gelada que hoje chamo de minha casa.

Tags: , , , , , ,

Matérias relacionadas:



29 Respostas para “10 anos de Canadá.”

  1. Alex disse:

    I know it is the dream of everyone here, but I’d like to help! if anyone knows or has known to offer a job, please read the rest of the comment.

    Hello, I am Brazilian 20 years. And my dream is to live in Canada! I would like to find a job before migrating, to help me in proceso seen, if someone has a vested interest’m willing to talk to the person by e-mail or via skype. Work in an accounting office with the opening and closing a business, I have experience with computer maintenance, and know how to cook, but I’m willing to infrentar any job even in the construction area.

    Thank you, Alex!

  2. Keilla Martins disse:

    Ola Rodrigo!
    Adorei ler a sua estória. Tenho alguns motivos idênticos aos seus, que me fazem questionar se estou morando no lugar que me faz feliz. Na verdade, eu sempre quis sair do Brasil. Sei lá, tenho a impressão que eu não sou daqui…rs. Não gosto de muitas coisas, mas não fico reclamando para não ser chamada de chata. Estou estudando a possibilidade de passar um tempo no Canadá, apenas para estudar, mas se eu sentir que é o país que eu quero viver, qual o tempo mínimo necessário, para se tornar um cidadão canadense?

    Parabéns pelo blog e Obrigada e por compartilhar sua experiência conosco!

    Um abraço!

  3. JULIE disse:

    Rodrigo, parabéns pela matéria e pela sinceridade demonstrada em tuas palavras!
    Tenho lido já alguns textos seus e de outros ‘colunistas’ aqui do site. Viver uma experiência no Canadá é um dos sonhos que pretendo realizar no 2º semestre de 2014. As razões são muitas, e algumas identificam-se com as que você citou acima. Seria muito importante pra mim, poder trocar experiências e “tirar” algumas dúvidas com alguém que já conhece tão bem o país. Imagino, que você deve receber esse tipo de e-mail diariamente… rsrs… Bom, se possível gostaria de manter contato com você. Um abraço!

    Julie.
    Skype: julie.publisher1
    juliepublisher@gmail.com

  4. Olá Rodrigo.
    Muito legal seu relato. Meu marido é professor da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais)Eu sou funcionária pública federal também trabalho na UFMG. Meu marido vai fazer pós doutorado (ele é químico)e já morou durante 4 anos na Inglaterra.
    Bem. Vou com ele e vamos levar nossas 3 filhas, Vamos para Edmonton.Eu não falo nada de inglês mas não quero ficar parada enquanto ele fica na universidade. Minhas filhas vão fazer curso de inglês e eu quero trabalhar. A pergunta que quero lhe fazer é se aí eu posso fazer serviços do tipo tomar conta de criança, fazer faxina, trabalhar como cozinheira ou outros tipos de serviços.Paga-se bem? tem mercado para esse tipo de serviço? Eu também vou fazer um curso de ingles?
    Gostaria de saber se vc tem endereço do facebook de algum brasileiro que esteja em Edmonton para que eu possa entrar em contato. te agradeço muito se puder me ajudar. Quero eu mesma conseguir algum trabalho pois vou ficar um ano afastada sem remuneração. Meu e-mail mvsoares44@gmail.com me encontra no facebook pelo nome mabel vieira soares.
    Um grande abraço.

  5. Rita disse:

    Olá, Rodrigo, faltam cinco anos para me aposentar. Pretendo vender tudo o que tenho aqui e ir embora com meus filhos, mãe e irmão para o Canadá, porque o Brasil está cada vez pior, embora aqui eu tenha um excelente emprego, ganhe bem e tenha qualidade de vida. Mas não vejo boas perspectivas para meus filhos, esse país aqui infelizmente não tem futuro, está uma vergonha. Gostei muito do seu relato, creio que não terei grandes problemas de adaptação. Você acha que conseguiria se adaptar novamente ao Brasil? Abs

  6. Renier disse:

    Eu tenho um caso diferente do seu, morei 10 anos nos EUA Na Pensilvânia, Mas a América nunca me deu a oportunidade de ser um cidadão legal minha papelada esta para sair e vou para o Canada espero que este Pais me de um pouco de paz , minha pergunta e, o sistema de vida no Canada e parecido com os EUA ? sei que e estranho comparar mas e o que eu conheco mais proximo ao Canada . o que me assustou foi o real state e muito caro ,espero que Deus lhe abencoe mutio obrigado pelo blog .

  7. Suzi Hay disse:

    Rodrigo, parabéns pelo texto. Acho que você conseguiu transmitir em alguns parágrafos aquilo que a maioria dos imigrantes vivencia no processo de adaptação em um novo país. Manter o foco e ter para si a certeza do que se quer é um dos fatores de sucesso. A falta da família e dos amigos talvez seja uma das mais dolorosas partes desta fase, mas nesse aspecto, a tecnologia evolui ao nosso favor, embora nada que substitui o abraço !
    Muito obrigada por compartilhar sua história e experiância.
    Abraços !

  8. Francisco disse:

    Caro colega,

    Realmente seu post e muito bacana eu li ele completamente. Eu pretendo iniciar o meu processo de aprendizagem do idioma Frances e Inglês para poder dentro de no máximo 3 anos morar no Quebec. Eu tenho 30 terei 33 no final de toda a preparação que envolve guardar uma grana…aprender o idioma e escrever bem. Eu sou da Area de TI ( tecnologia da Informação) e ja tenho formacao superior. Gostaria de uma opinião tua se esse perfil meu e compativel para eu poder conseguir uma boa carreira em Quebec. Eu estou pesquisando em vários locais sobre essa duvida. Mas gostaria de uma opinião tua ja que tem muita experiencia sendo estrangeiro.

    Otimo blog e muito sucesso a voce e tua familia

    Abracos

  9. Amanda disse:

    Sua história é realmente linda. Me inspira cada vez mais, e me da forças para conseguir realizar meus desejos e sonhos.
    Espero um dia poder relatar exatamente como você, dizer com orgulho que o Canada é a minha nação e ser feliz com a vida.
    Parabéns pelas suas realizações. Isso é uma prova de que quem tem força de vontade, consegue tudo o que deseja.
    Abraços.

    • Rodrigo disse:

      Obrigado Amanda,
      Fico feliz em saber que o meu texto lhe serviu como inspiração. Eu espero que você também consiga realizar os seus sonhos da melhor maneira possivel. Inclusive eu sempre digo que um dos segredos no sucesso, independente de qual seja o objetivo, é ter força de vontade e acreditar. Ir atrás, lutar e buscar. Nunca desistir.
      Grande abraço.

  10. Andréa disse:

    Emocionante seu relato! Parabéns, Rodrigo e obrigada por compartilhar sua experiência.

  11. Karine Carvalho disse:

    Rodrigo, gostei de ler seu artigo. Com um texto simples, direto e sincero você ajuda àqueles que ainda estao buscando um “lugar ao sol” em solo canadense a nao desistir. Seu testemunho nos incentiva e nos reanima.
    Um abraço, Karine Carvalho de Montreal. ;)

    • Rodrigo disse:

      Oi Karine,
      Obrigado pelo comentário. Realmente o objetivo é ajudar. Talvez a minha experiência sirva como base para outras pessoas, ou mesmo de incentivo. Fico feliz em saber que você gostou do artigo.
      Um forte abraço e boa sorte.

  12. Fabiana Fonseca disse:

    Gostaria de parabenizar-lo pelo EXCELENTE texto!
    Por já ter morado fora do Brasil por 7 anos, voltado para cá e agora estou com minha família no processo de mudança para o Canadá, entendi perfeitamente o que vc quis passar com esta mensagem, não somente o Canadá, mas acredito eu que, Imigrar não é coisa para qq um, o sucesso e adaptação dependem realmente de inúmeros fatores e isso é extremamente pessoal e individual, fico feliz em ler que vc está feliz na terra escolhida e espero que o mesmo acontece comigo, fácil tenho CERTEZA que não será, mas isso faz parte do processo e do crescimento, perfeito tb sei que o Canadá não é, mas uma coisa que aprendi ao longo dos anos foi que, o que faz cada um feliz é muito pessoal, por isso não existe formula secreta e com isso vc tem que optar a viver em um lugar que te proporcione alcançar seus objetivos e lhe traga tranqüilidade, a felicidade é conseguida e conquistada aos poucos …
    Abs e tudo de bom !!!

  13. Gostei muito do post disse:

    Canadá

  14. Gostei muito do post disse:

    Sou professor e falo inglês,espanhol,italiano,alemão, francês e estou estudando chinês mandarim. Gostaria de morar no candar, mas acho que a vida lá é bem difícil, não acredito que poderia encontrar boas oportunidades.
    um abraço para todos

    • Rodrigo disse:

      Você talvez poderia buscar alguma oportunidade junto às instituições de ensino como escolas, Faculdades e Universidades. Veja no site do governo se a sua área de formação está em demanda.
      Abraço e boa sorte.

  15. Sóbrio, porém emocionado. Parabéns por seu post, que deveria ser referência a outros postulantes a viver em terras distantes. Moro há 12 anos nos Estados Unidos e, a cada linha lida, era como se estivessem contando a minha história. Cada medo, insegurança, aventura, conquista parecia estar ali descrito. Inclusive os estágios equivalentes nas conquistas de liberdade, o ir e vir que ainda é muito restrito a nós brasileiros, e as portas que se abrem quando usamos passaporte de um país mais arrumado que o nosso, conquistas que ainda temos que buscar aí no Brasil. A julgar pela qualidade que você nos mostrou em seu post, sugiro que você escreva mais a respeito de si e de suas experiências.

    Henrique Neves/Temporada Plus

  16. Antonio Augusto Santos barros disse:

    Como posso sair do Brasil se ainda não tenho dinheiro para me manter no canadá?

  17. Parabéns por sua vitória, quando se está disposto a lutar tudo é possível.

  18. Sandra Nascimento disse:

    Excelente…gostaria de algumas informações se possível por e-mail.Pois pretendo viver nesse País lindo….Felicidades!!!

  19. Raphael disse:

    Muito bom comentar sobre sua experiência de vida. Eu gostaria de possuir contato com alguém que já resida aí. Gostaria saber sobre costumes, convivência, trabalho, pessoas, essas coisas. Mas já planejo ir morar aí!

    Parabéns pelo blog!

Trackbacks/Pingbacks


Deixe uma Resposta

Fique atualizado

Fique atualizado via e-mail. Cadastre-se!
Twitter - Sair do Brasil Facebook - Sair do BrasilFeed - Canada Brasileiro